sábado, 27 de setembro de 2014

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 REIS (Leia 2 Reis 15-27)

Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores
(1 Timóteo 6:10).


A primeira coisa que Naamã fez depois de sua cura foi voltar e agradecer ao instrumento que a tornou possível. Isso nos lembra um dos dez leprosos que foram limpos pelo Senhor, o qual "vendo que fora curado, voltou, dando glória a Deus em alta voz" (Lucas 17:15). E o mais notável disso é que ele também era estrangeiro.

Naamã aprendeu que a salvação é absolutamente gratuita. Muitos jamais conseguiram aceitar esse fato. Isso se torna mais compreensível quando se vê uma classe de clérigos recebendo favores pessoais em troca de perdão de pecados: "sórdida ganância" (1 Timóteo 3:8; Tito 1:7; 1 Pedro 5:2). Geazi nos faz pensar sobre isso. A conduta dele, tão influenciada pelo amor ao dinheiro, prejudicou a compreensão de Naamã sobre o dom gratuito de Deus. O coração do homem de Deus, tão preocupado com o "novo convertido", assistiu à cena tempo todo. O ato desonesto é exposto, e o cobiçoso Geazi recebe uma terrível punição (Atos 5:1-11). "Era isto ocasião para tomares prata e para tomares vestes, olivais e vinhas, ovelhas e bois, servos e servas?", pergunta Eliseu, cuja fortuna pessoal era seu manto profético. Que pergunta séria! Como discípulos de um Mestre que se tornou pobre, nós, às vésperas de Seu retorno, não temos tempo para desperdiçar tentando amealhar fortunas neste mundo (Tiago 5:3; Ageu 1:6-7).

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

DEUS SABE TUDO SOBRE NÓS

E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais, pois
(Mateus 10:30-31).


Que palavra! Tudo o que lhe acontece, inclusive o número de cabelos que você tem, é do conhecimento de Deus. Nada acontece por acaso ou acidente. A queda de uma folha, a morte de um pardal, a aniquilação do mundo ? tudo é percebido por Ele. Os homens classificam as coisas em "grandes" e "pequenas", mas Deus não faz tal distinção.

E como é lindo perceber o amoroso cuidado com o qual Deus se refere aos Seus filhos! Cada alegria, dor, momentos fáceis e difíceis, nada passa despercebido. O que podemos considerar erros e fracassos, situações que preferiríamos esquecer, até isso pode ser usado por Deus para Sua glória e nossa alegria.
Como você olha para o futuro? Você vê tantas incertezas e mistérios que se sente oprimido? Confie nEle ? "O caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada; é um escudo para todos os que nele confiam" (Salmo 18:30). Nenhum fio de seu cabelo será desnecessariamente tocado. Deus nos guia, às vezes por caminhos sombrios, às vezes por caminhos dolorosos, e frequentemente por trilhas que jamais escolheríamos; mas o "caminho de Deus é perfeito", e sempre há amor neles.

O próprio Senhor Jesus trilhou o caminho mais tenebroso de todos, por causa de Seu indescritível amor. E Ele não irá impor sobre nós qualquer fardo que nos possamos carregar, e nem exigir nenhum sacrifício por capricho.

ANTES E AGORA

Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho
(Hebreus 1:1).


O Espírito de Deus diferencia entre o modo que Deus falou ou agiu no passado e agora. Antes da vinda do Filho, Deus falava através de outras pessoas. O povo de então recebia tais palavras de Deus por meio de profetas; mas agora já tivemos a manifestação do próprio Deus. O Filho de Deus veio em forma humana até nós.

Antes da vinda do filho, o nome de Deus era exaltado. Ele se apresentou a Abraão como o Senhor todo-poderoso, dizendo para que confiasse em Seu poder. Tempos depois, Ele se apresentou a Nabucodonosor como o Altíssimo Deus, elevado muito acima dos deuses de todas as nações. E há vários outros títulos que o Senhor usou para se apresentar à humanidade, todos gloriosos, sem dúvida. Mas nosso Senhor, a Palavra, magnificou a Si mesmo sobre todas as coisas.

A Palavra é a revelação de Si mesmo em todos os aspectos. Deus fala por Cristo. Tudo o que Cristo fez foi manifestação de Deus. Quem poderia curar o leproso a não ser Deus (Marcos 1:40)? Ou um cego de nascença? (João 9:7) Quem poderia ressuscitar um morto (João 11:43)?

E agora temos uma responsabilidade. O Senhor Jesus disse: "Porque lhes dei as palavras que tu me deste" (João 17:8). Ele nos deu Suas palavras para sermos vasos de Seu testemunho. E as "palavras que eu vos disse são espírito e vida" (João 6:63).

OS CEM TALENTOS DE PRATA

O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.
E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça
(Filipenses 4:19; 2 Coríntios 9:8).


Amazias, rei de Judá, tinha pouca confiança em Deus. Confrontado com o edomitas, recrutou cem mil homens de guerra ao preço de cem talentos de prata (2 Crônicas 25:6). Um profeta veio lhe dizer que era melhor que ele confiasse em Deus. Amazias lhe respondeu: "Que se fará, pois, dos cem talentos de prata que dei às tropas de Israel?" (v. 9). O "homem de Deus" lhe respondeu da seguinte maneira: "Mais tem o Senhor que te dar do que isso".

Como cristão necessito crer nestas palavras durante toda minha vida. Por exemplo, quando uma oportunidade econômica vantajosa se apresenta, temos de analisar se o trabalho seria tão absorvente a ponto de arruinar a vida espiritual. É aí que somos confrontados com os "edomitas" deste mundo. Será que cremos realmente que Deus tem muito mais a nos dar e, pela fé, abriríamos mão de tal oportunidade? Se uma pequena infração à verdade me facilitaria a vida, o que fazer? Optaria por dizer a verdade e sofrer as consequencias?

Poderia render tempo e dinheiro para os ceifeiros que estão trabalhando na obra de Deus, porém não seria mais prudente descansar e poupar? Dia após dia temos de ouvir: "Mais tem o Senhor que te dar do que isso".

Os recursos de Deus são infinitos. Diante de qualquer "exército" que lhe ameace (medo, traumas, dores, doenças, dificuldades financeiras, etc), lembre-se que "Deus é o que me cinge de força e aperfeiçoa o meu caminho? Ensina as minhas mãos para a guerra, de sorte que os meus braços quebraram um arco de cobre. Também me deste o escudo da tua salvação? Persegui os meus inimigos, e os alcancei; não voltei senão depois de os ter consumido. Atravessei-os de sorte que não se puderam levantar; caíram debaixo dos meus pés. Pois me cingiste de força para a peleja" (Salmo 18).

CONFORMIDADE OU OBEDIÊNCIA?

Se me amais, guardai os meus mandamentos
(João 14:15).


Obediência é uma atitude do coração para com uma autoridade maior. Como cristãos, nossa autoridade maior é o próprio Deus. A obediência também se refere à atitude individual para com Deus. O legalismo, por outro lado, coloca as ordens acima das pessoas. Enfatiza a própria lei, e a mantém pelo bem da lei, e não pela glória do Legislador. Os que são legalistas tendem a olhar para as atividades e falhas dos outros e jamais para o próprio coração. Esta postura era comum aos fariseus no tempo em que o Senhor viveu neste mundo. Em Romanos 2, Paulo descreve de maneira vívida os líderes religiosos daquela época. Temos de entender que devemos sempre checar nosso coração acerca das motivações para a obediência.

A conformidade é exterior ao homem. Muitos se conformam às leis exteriormente por medo de represálias; isso não é de modo algum obediência. Quantas vezes dirigimos nosso carro no limite da velocidade da via, enquanto em nosso coração desejaríamos estar muito acima da velocidade permitida! Há um princípio aqui. A conformidade à lei, humana ou divina, pode evitar a punição; mas jamais trará a paz e a alegria que acompanham a obediência ao Senhor.

Obediência é antes de tudo uma questão de ouvir. Podemos ouvir em uma posição de disponibilidade para obedecer, reconhecendo quem está acima de nós, ou caímos no orgulho e nos recusamos a dar ouvidos e obedecer.

Por definição, a obediência envolve submissão à autoridade e à sabedoria. E, portanto, a desobediência se enraíza na rebelião, que pode se manifestar abertamente, ou pior ainda, no oculto do coração.

39 SOLDADOS E 1 CENTURIÃO

E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte
(Apocalipse 12:11).


Quando o imperador romano Licínio perseguia os cristãos na Armênia, a Legião Trovejante estava posicionada na região de Sebaste. Quarenta soldados se declararam cristãos, e foram sentenciados à morte por congelamento. Era inverno e o frio estava intenso. Eles seriam obrigados a se despirem da armadura, das armas, das roupas e a passarem a noite inteira nus em um lago. Na margem do lago havia uma casa bem acolhedora, e perto dela foi acesa uma grande fogueira. Também foi montada uma mesa com vinho e comida, e água aquecida. Isso era uma tortura adicional. Semprônio, o centurião responsável pelos soldados e executor dessa sentença, anunciou que quem deixasse o lago e entrasse na casa teria negado a Cristo, e seria considerado um adorador dos deuses romanos novamente.

A noite chegou, e o cortante vento dos montes Cáucasos fazia os cidadãos fecharem suas portas e janelas e aumentarem o calor das lareiras. No lago gelado estavam os 40 soldados, alguns lutando em oração, outros tremendo, e outros já entorpecidos pela morte. Conforme as horas se arrastavam, eles clamavam e clamavam: "Ó Senhor, quarenta guerreiros se apresentam para lutar por Ti; conceda que quarenta guerreiros recebam a coroa da glória".

E chegou certo momento em que um deles não suportou mais o frio intenso, deixou o lago e entrou na casa onde Semprônio e seus homens mantinham guarda. Mas, lá fora, a oração dos mártires ainda subia aos céus: "Ó Senhor, quarenta guerreiros?"

E a oração foi atendida. Semprônio foi tocado pela bravura daqueles cristãos. Ele se declarou cristão e se juntou aos seus 39 irmãos no lago congelado. Quando o frio acabou seu trabalho, 40 corpos jaziam no gelo, e 40 guerreiros gloriosos, com Semprônio entre eles, foram recebidos na casa do Rei dos reis!

O DOLOROSO DESAMPARO

Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxílio e das palavras do meu bramido?
(Salmo 22:1).


Quem pode descrever os sofrimentos do Senhor, quando em Seu profundo abandono, clamou a Deus e entregou Sua alma na morte?

Deus enviou Seu Filho unigênito ao mundo. Mediante uma vida inteiramente sem pecado, o Senhor Jesus glorificou a Deus em todo momento. Porém, ao chegar as três horas de trevas na cruz, Deus "condenou o pecado na carne" (Romanos 8:3). Só Ele, o único justo, podia se tornar pecado por nós e nos substituir. Ele entregou Sua vida em sacrifício para nos salvar, e quando foi abandonado por Deus, o Senhor Jesus falou: "Porém tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel" (Salmo 22:3).

Quão terrível foi o sofrimento do Senhor nestas horas! E essas palavras comprovam isso: "Não há quem ajude" (v.11). Nem a menor gota de misericórdia foi misturada à taça do justo juízo de Deus contra o pecado.

O Salvador, por ser Aquele que carregava o peso do pecado naquelas horas, teve de levar sobre Si esses sofrimentos. A santidade de Deus exigia o juízo de nossos pecados. "Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele" (Isaías 53:5). Como nosso coração pode permanecer insensível diante de tamanha demonstração de amor?!!!

"A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade" (2 Pedro 3:18).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 REIS (Leia 2 Reis 5:1-14)

Vai, e lava-te
(2 Reis 5:10).

Aqui está Naamã, capitão do exército sírio, um herói coberto de glória, distinção e valor. Apesar disso, havia algo que fazia essa grande personagem ser o mais miserável dos seres humanos: seu refinado uniforme cobria um corpo consumido pela lepra. Da mesma maneira, a doença do pecado tem corrompido cada ser humano, incluindo os mais nobres.

Na casa de Naamã vivia uma jovem mensageira de boas notícias. Uma escrava dá seu simples testemunho do poder do homem de Deus. Ninguém é jovem demais para ser uma testemunha do Senhor Jesus.

Naamã se põe a caminho e, após passar rapidamente pelo palácio do rei Jorão, recebe a mensagem de Eliseu. E ainda hoje Deus tem uma mensagem para os pecadores: Sua Palavra escrita. Muitos não crêem que Deus fala dessa maneira e não reconhecem a Bíblia como a Palavra de Deus. Outros consideram a salvação muito simples. A instrução dada a Naamã é a mesma que Jesus deu ao homem cego de nascença: "Vai, lava-te" (v. 10; João 9:7). Deus não pede para fazermos coisas difíceis (v. 13), mas apenas isso: reconhecer que estamos mortos em nossos delitos e pecados (Efésios 2:1, 5; Colossenses 2:13). As coisas difíceis, o próprio Deus já fez por nós.