terça-feira, 22 de abril de 2014

O CÃO E A PORCA

Melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado; deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama
(2 Pedro 2:21-22).


Quem afirma que se pode perder a vida eterna geralmente utiliza os versículos acima como argumento. Para nós é uma oportunidade de recomendar aos nossos leitores o estudo dos princípios bíblicos em diferentes epístolas e não isolar versículos do contexto. Se lermos o capítulo inteiro é evidente que aqui se trata da corrupção daqueles que levam o nome de cristãos sem jamais terem conhecido a Deus de fato. Inclusive ensinam doutrinas falsas e imorais.

A porca se lavou superficialmente, não mudou em nada sua natureza, e logo voltou ao chiqueiro: assim ocorre com a cristandade. Se estudarmos 2 Timóteo 3:1-9 e 13, Judas e Apocalipse veremos que o cristianismo de massa não terminará em triunfo, mas cairá em um estado pior que o paganismo. Semelhante ao cão que volta ao seu vômito, o homem se compraz internamente com o mal, pois assim é sua natureza.

O Espírito Santo jamais aplica tais termos - porca e cão - aos verdadeiros crentes, mas os chama de 'ovelhas'. Outras passagens nos mostram que existem os que se infiltram entre os fiéis e passam despercebidos porque se disfarçam de ovelhas, mas na realidade são lobos terríveis que devoram o rebanho (Mateus 7:15; Atos 20:29).

ELE ERA TÃO MAU?

Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.
Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo
(Salmo 119:9; João 3:7).


A História relata que Nero foi um belo menino, com um coração tão terno que não suportava ver um animal sofrer. Mas quando cresceu se tornou um monstro, um dos piores homens que já ocupou um trono. Sua crueldade lhe proporcionava um prazer diabólico.

Conta-se que ordenou o incêndio de Roma, e delirou ao ver as chamas, propagadas pelo vento, devorarem tudo. Nada o comovia: nem as perdas materiais, nem a morte de tantas pessoas.

Dominado por Satanás, Nero se fez inimigo do Senhor Jesus Cristo e dos cristãos. Mandou assassinar muitos crentes. Uns eram untados com piche e queimados vivos, outros foram jogados às feras na arena, outros ainda sofreram toda sorte de torturas. Também matou o apóstolo Paulo.

Lembremos que esse monstro de crueldade foi um jovem amável e sensível. O coração dele era igual ao meu e ao seu, leitor. Embora não tenhamos cometido as atrocidades que Nero cometeu, ele tinha a mesma natureza que nós. E, portanto, não somos melhores que ninguém. A Bíblia declara: "Porque, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados? operavam em nossos membros para darem fruto para a morte" (Romanos 7:5). "Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus" (Romanos 8:8).

Mas a Bíblia também afirma: "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo" (Atos 16:31). "Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós" (Romanos 8:9).

CABEÇAS DURAS; ALMAS MORTAS

E eis que houvera um grande terremoto, porque um anjo do Senhor, descendo do céu, chegou, removendo a pedra da porta, e sentou-se sobre ela.
(Mateus 28:2-4).


Tanto na morte quanto na ressurreição do Senhor Jesus, Deus fez a terra a tremer; e, além disso, outro milagre ocorreu bem diante dos guardas romanos que guardavam a tumba. Um anjo do céu veio e rolou a grande pedra que bloqueava a entrada da tumba, e se sentou sobre ela. Suas vestes eram brancas e resplandecentes, seu rosto brilhava como um relâmpago. Não é de se estranhar que os guardas ficassem apavorados!

Quando os guardas relataram o que viram aos principais sacerdotes, estes os subornaram para mentir e dizer que os discípulos do Senhor Jesus roubaram o corpo dEle enquanto dormiam. É claro que qualquer pessoa de bom senso jamais engoliria esta mentira, pois se estavam dormindo, como os guardas sabiam que os discípulos tinham retirado o corpo?

Os sacerdotes sabiam muito bem que o Senhor dissera que ressuscitaria, mas um ódio descarado os impelia a agirem contra Deus. Deus claramente interveio, mandando um terremoto e um anjo, mas eles se recusaram a admitir isso!

Muitos santos ressuscitaram também e apareceram em Jerusalém (Mateus 27:52-53). Como é patético uma pessoa que se recusa a admitir fatos, não importa quão gritantes sejam! E, no entanto, essa é a atitude predominante hoje, entre os que andam "na vaidade da sua mente. Entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração" (Efésios 4:17-18).

A "dureza de coração" não é um 'privilégio' dos não-cristãos. Até entre os próprios cristãos essa é uma mentalidade que prevalece. Por isso o apóstolo nos adverte: "Vede que não rejeiteis ao que fala; porque, se não escaparam aqueles que rejeitaram o que na terra os advertia, muito menos nós, se nos desviarmos daquele que é dos céus" (Hebreus 12:25).

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 1 REIS (Leia 1 Reis 18:1-16)

E sucedeu que, depois de muitos dias, a palavra do Senhor veio a Elias no terceiro ano, dizendo: Vai e mostra-te a Acabe
(1 Reis 18:1).


Três anos antes, o Senhor tinha dito a Elias, "Retira-te daqui?e esconde-te" (17:3), mas agora lhe manda: "Vai, apresenta-te a Acabe" (v. 1). O profeta está tão disposto a obedecer a esta ordem quanto obedeceu à outra ? um exemplo para nós, que temos a tendência de nos mostrar quando Deus manda que nos escondamos e de nos esconder quando Deus manda nos apresentarmos!

O que Acabe fez durante essa terrível seca? Vemos que ele tinha mais cuidado com seus cavalos e mulas do que com o miserável estado de seu povo. Obadias, seu mordomo, que temia muito ao Senhor, não teve a coragem de se separar de seu ímpio mestre. Ele teria de renunciar a privilégios e talvez arriscar a vida. Infelizmente, como Obadias, muitos cristãos, não estão dispostos a se separar do mundo para agradar ao Senhor, porque tal decisão lhes custaria muito caro!

Obadias temia contar para Acabe que havia encontrado Elias. Ele se vangloriou do que fez pelos cem profetas, mas quando precisava cumprir um simples pedido que Elias lhe havia feito, o pobre Obadias não demonstrou a mesma atitude da viúva de Sarepta: uma fé simples na palavra do Senhor.

TRAÍDO

Pois não era um inimigo que me afrontava; então eu o teria suportado; nem era o que me odiava que se engrandecia contra mim, porque dele me teria escondido. Mas eras tu, homem meu igual, meu guia e meu íntimo amigo.
Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou
(Salmo 55:12-13; João 10:18).


Era noite. Uma tropa de homens entrou no jardim das Oliveiras. Armados com espadas e paus, queriam prender o Senhor Jesus, que não cometera delito algum, por ser "manso e humilde de coração" (Mateus 11:29). Trouxeram lanternas para procurar aquele que era a "luz do mundo".

O Senhor Jesus não foi traído por um inimigo, mas por seu amigo Judas. Contudo, o Senhor Jesus lançou um último apelo à consciência e ao coração de seu infeliz discípulo: "Amigo, a que vieste?" (Mateus 26:50). "Judas, com um beijo trais o Filho do homem?" (Lucas 22:48). O Senhor Jesus se adiantou e protegeu Seus discípulos.

"Então a coorte, e o tribuno, e os servos dos judeus prenderam a Jesus e o maniataram" (João 18:12). Prenderam o Senhor Jesus, o Filho de Deus!! No Antigo Testamento há uma história de certo rei que se atreveu a estender a mão para prender um profeta enviado por Deus, "mas a sua mão, que estendera contra ele, se secou, e não podia tornar a trazê-la a si" (1 Reis 13:4). Porém, no caso de Seu Filho, Deus não interveio: Seus grilhões não foram quebrados, nem as mãos estendidas contra Ele se secaram.

O Senhor Jesus, o Criador feito homem, Se deixou trair e maltratar por Suas próprias criaturas para salvá-las. Cravado por elas na cruz, suplicou: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem" (Lucas 23:34).

O FILHO DO DEUS VIVENTE

Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente
(João 6:68-69).


Quando o Senhor Jesus apresentou claramente a verdade aos Seus ouvintes e seguidores, muitos O abandonaram. E nesse contexto, o Senhor Jesus fez uma pergunta bastante concreta aos apóstolos: "Quereis vós também retirar-vos?" (v. 67), Pedro respondeu com o versículo acima, declarando duas verdades gloriosas referente ao Senhor.
1) Ele é o único que tem palavras de vida eterna. Ele é a fonte, a própria origem da vida. Ele mesmo era a representação de tudo que falava, pois Seu comportamento e Sua Pessoa eram a manifestação viva de Suas palavras. Quem cria nelas cria também nEle e recebia por meio do Espírito Santo a vida eterna. Sim, as palavras do Senhor são vida eterna, e salvam o ser humano que nelas coloca sua confiança.
2) Na segunda parte de sua resposta, Pedro expressa o que mais tarde encontraremos em sua primeira epístola sobre a pessoa de seu Mestre: "Pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa" (2:4). Independentemente do que os homens vissem ou vejam nEle, qualquer que seja a nossa atitude para com Ele, o Senhor Jesus é e sempre será o Santo de Deus. Sua vida era uma inteira dedicação a Deus. O Senhor Jesus foi o homem por meio do qual Deus cumpriu os pensamentos de Seu coração. Que gloriosa verdade!!!

UM MOMENTO DE DECLARAÇÃO DE AMOR

E, tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia
(Lucas 22:19-20).


O Senhor Jesus instituiu a Ceia com estas palavras: "Fazei isto em memória de mim". Assim, no partir do pão Ele deseja que nos lembremos de Sua pessoa, anunciando a Sua morte. Contudo, sabemos que não permaneceu na sepultura, mas que ressuscitou e agora está em um lugar de honra junto ao Pai. Quando Deus determinar, o Senhor Jesus aparecerá diante do mundo inteiro como Filho do Homem em toda a Sua glória. Devemos pensar nEle e nos alegrarmos, pois a Ceia do Senhor nos fala principalmente de Seu amor que foi mais forte que a morte. Que Pessoa foi esta que morreu no Gólgota? Foi o "Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim" (Gálatas 2:20). Por nós, pecadores perdidos e indignos, Deus não podia dar nada menos que seu Filho unigênito.

E quando nos recordamos da vida do Senhor Jesus, consagrada e agradável a Deus, temos de dizer: O único ser humano santo e perfeito, teve que morrer na cruz, condenado à morte pelos homens apesar de inocente.

Como entender isto? A resposta é clara: somente um homem puro e sem pecado podia chegar a ser nosso substituto no juízo de Deus. Nenhum outro sacrifício poderia ter sido suficiente para Deus.

"Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças" (Apocalipse 5:12).

"VENHO"

Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro de mim está escrito. Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração
(Salmo 40:7-8).


No Salmo 40 vemos a disposição do Filho de Deus, que declarou na glória: "Venho". Queria executar o plano de Deus, tornando-se homem e como tal honrar a Deus mediante uma obediência perfeita.

Em Sua vida neste mundo, o Senhor Jesus fez somente o que agradava a Deus. Sua "comida" era fazer a vontade divina. Essa vontade também incluía morrer na cruz do Gólgota, e o Senhor Jesus estava disposto a enfrentá-la. Foi obediente até a morte de cruz.

Pouco antes da cruz, orou como Filho ao Pai (João 17). Nesse momento Ele via a Si mesmo como se já houvesse cumprido a perfeita obra da salvação, de modo que falou: "Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer" (v. 4). Por isso acrescentou: "Eu vou para ti" (v. 11). Ele voltou para o Pai e agora ocupa a mais suprema posição "à destra de Deus" (1 Pedro 3:22).

Mas o Senhor também pronunciou outro "venho", que encontramos na última página da Bíblia, como uma promessa para todos os que Lhe pertencem. "Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho" ? cedo, segundo o tempo divino. Ele virá para buscar os Seus a fim de levá-los para a glória. E por isso o Espírito Santo, a Noiva, ou seja, os redimidos clamam: "Ora vem, Senhor Jesus" (Apocalipse 22:17-20).