sexta-feira, 14 de novembro de 2014

ENGANADO PELO SOM

E, ouvindo Josué a voz do povo que jubilava, disse a Moisés: Alarido de guerra há no arraial. Porém ele respondeu: Não é alarido dos vitoriosos, nem alarido dos vencidos, mas o alarido dos que cantam, eu ouço   
 (Êxodo 32:17-18).


Perdido na mata, um homem procurava desespe-radamente encontrar a saída. Suas forças já se esgotavam. De repente ele ouviu um barulho ao longe que parecia ser o som de um metal sendo trabalhado. Suas esperanças se acenderam. A civilização deveria estar próxima. Ele reuniu suas poucas forças e, com valentia, foi em direção ao som. Mas parecia que nunca se aproximava do barulho. Por fim, ele caiu no chão, para nunca mais se levantar. A araponga gritou mais uma vez. O esquisito canto dessa ave tropical imita com perfeição a batida estridente de martelo sobre uma bigorna, produzindo um som metálico inconfundível. Ao invés de oferecer segurança ao cansado viajante, o som o atraiu para a morte.

Josué cometeu o mesmo erro. Quando ouviu o som de gritos, sua mente militar imediatamente assumiu que eram sons de batalha. Mas Moisés, experiente nos caminhos da natureza humana, percebeu que era algo bem mais sinistro. O que Josué considerou sons de perigo físico iminente, Moisés reconheceu como sons de perigo espiritual iminente. Ao invés de guerra, o barulho era de devassidão e imoralidade.

Satanás é um hábil produtor de sons, e gosta mascarar a realidade do pecado com sons enganadores. Ele cobre seus ímpios caminhos com palavras que soam nobres, agradáveis e lógicas. Ele esconde suas mentiras e fraude sob risadas estridentes, apelos emocionais e aparente sinceridade. As consequencias são idolatria e morte espiritual.

Não seja enganado pelos sons. Sempre examine o que você ouve pelo filtro da Palavra de Deus. Se não é consistente com a Bíblia, ignore, não importa o quanto o som pareça agradável.

ACOLHIDOS POR NOSSO PAI CELESTIAL

O mesmo Pai vos ama.
Porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito.
Dando graças ao Pai que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz
(João 16:27; Efésios 2:18; Colossenses 1:12).


Durante a Guerra de Secessão nos Estados Unidos (1861-1865), todos os dias o presidente Lincoln era assediado por muitos visitantes. Eram, sobretudo, representantes do governo e outras pessoas ansiosas por estar diante dele. A maioria esperava ajuda e favores para elas e para amigos e parentes.
No meio dessa multidão, um menino costumava passar correndo diante das pessoas e dos sentinelas. Abria a porta sem bater e entrava no escritório do presidente. Quem esperava por horas manifestava desagrado, mas um dos secretários sempre informava: - Esse é Ted, filho do presidente. Seu pai nos deu ordens para nunca impedir Ted de vê-lo.

Você sabe que o Senhor Jesus veio ao mundo para que conheçamos Deus como nosso Pai? Ele suportou a cruz e deu Sua vida para tirar os obstáculos que impediam nosso acesso a Deus. Agora podemos ir ao Pai, passando pelo Senhor Jesus, Seu Filho.

Cristãos, em todas as circunstâncias de nossa vida podemos desfrutar do amor do Pai. Sempre podemos entrar em Sua presença em oração e adoração, sem qualquer impedimento, porque todos os nossos pecados foram expiados pelo sangue do Senhor Jesus.

ÁRVORES DE NATAL

Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela.
Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele, arraigados e edificados nele, e confirmados na fé
(2 Timóteo 3:5; Colossenses 2:6-7).


Pense nas imensas árvores de natal que ficam em lugares públicos. Com uma decoração atraente, elas cativam o olhar de quem passa perto. No entanto, há um grande problema com essas árvores: elas são artificiais. Embora sejam lindas e atrativas, são de matéria morta, sem vida alguma.

E quantos se parecem com elas! Tais pessoas têm uma aparência de vida piedosa e religiosa. Criadas em uma cultura cristã, frequentam lugares cristãos, cultos religiosos e fazem caridade? sem ter qualquer relacionamento com Cristo.

Após o período das festas de ano, essas árvores são jogadas fora, ou guardadas para o próximo ano. Se nossa fé é uma mera fé religiosa, somos como tais árvores. Nossa vida espiritual nada mais é que farsa. Podemos até alegar que fomos batizados ou crismados, e que casamos na igreja, mas isso continua sendo farsa. Somos apenas cristãos de aparência por causa de convenções sociais.

Porém, se conhecemos de fato o Senhor Jesus, nossa fé está enraizada nEle. Temos vida, a vida de Deus fluindo em nós. Somos como o homem descrito no Salmo 1: "Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará".

terça-feira, 11 de novembro de 2014

A RELAÇÃO INDESTRUTÍVEL DE FILHOS DE DEUS

Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados.
Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz
(Efésios 5:1 e 8).


Deus não oferece a vida eterna aos homens com a condição de perseverarem sem fraquejar nem que façam isso ou aquilo, pois sabe que somos incapazes de cumprir Sua menor ordem, e que todos os esforços de um ser humano jamais o tornariam um filho de Deus. É impossível se comportar como filho de Deus sem que haja a plena convicção do relacionamento de paternidade de Deus.

Com o propósito de nos estimular à obediência, alguns nos ensinam que é possível para o crente perder a vida eterna. A intenção até pode ser boa, porém é uma aberração pensar que a obediência pode ser conseguida semeando-se dúvidas sobre a realidade da posição firme e inalterável de filhos de Deus que os que crêem no Nome do Filho de Deus possuem. Como se poderia esperar obediência da parte de um filho que pensa que seu pai pode rejeitá-lo à qualquer momento e por qualquer razão?
O contrário é que é verdadeiro: quanto mais seguros estamos que Deus nos adotou como filhos, que nos tornou Seus herdeiros, que Ele mesmo realiza e conserva perfeitamente nossa salvação, tanto mais O amaremos, expressaremos nossa gratidão e a obediência será algo natural e desejável para nós. O amor do Pai e ao Pai é a base de toda nossa vida cristã. E que aumenta conforme passamos a conhecê-Lo cada dia mais. E esse é também o fundamento de nossa obediência aos princípios divinos. Como uma criança que é amada admira e imita o que seu pai amoroso faz, assim nós também admiramos e imitamos nosso maravilhoso Pai celeste.

"Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro" (1 João 4:19).

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

DUAS PALAVRAS-CHAVE

E Jesus, tendo ouvido estas palavras, disse ao principal da sinagoga: Não temas, crê somente
(Marcos 5:36).


Essas duas palavras, "Crê somente", estão entre as mais consoladoras palavras do Senhor Jesus. Elas contêm a essência e o resumo da verdade que salva.

Seus pecados passados estão assolando seus pensamentos em um constante martírio mental, tentando você a dar lugar ao desânimo e à desesperança? Não tema! Somente creia que Ele morreu por você, e está vivo, e ao seu lado "todos os dias, até a consumação dos séculos" (Mateus 28:20).

Você está sendo acossado por provações difíceis? Seus planos mais inteligentes foram cortados pela raiz? Você se sente atingido por onda após onda de problemas? É como se o Senhor tivesse esquecido de ser bom contigo? A palavra do Senhor Jesus para você é: Creia, creia somente. Creia que o Senhor lhe ama, e provou isso na cruz; creia que "como sois participantes das aflições, assim o sereis também da consolação" (2 Coríntios 1:7); que Deus nos corrige "para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade" (Hebreus 12:10); e que Deus "nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina" (2 Pedro 1:4).

Se você está diante da perspectiva de enfrentar a morte, faça como Davi: "Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo" (Salmo 23:4). Não tenha medo, porque o Senhor da vida está ao seu lado, e depois desse vale, você nunca mais será como é, "porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido" (1 Coríntios 13:12).

Não permita que ninguém, nem qualquer situação roubem de você a sua fé em Cristo!

domingo, 9 de novembro de 2014

COMO ADORAR A DEUS?



Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.
Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade
(Hebreus 13:15; João 4:24).


Para falar com os grandes deste mundo, é necessário obedecer a um protocolo. Sendo assim, o que se deve fazer para entrar na presença de Deus e adorá-Lo? Devemos respeitar algum cerimonial especial? Para adorar a Deus, o crente deve se apresentar com algo adequado para Lhe oferecer. Deus havia dito ao seu povo: "Ninguém apareça vazio perante mim" (Êxodo 23:15). Porém até nossos melhores sentimentos estão mesclados com imperfeições. Somente podemos oferecer o que temos recebido, o que o próprio Deus nos deu: "Porque tudo vem de ti, e do que é teu to damos" (1 Crônicas 29:14).

Podemos apresentar a Deus Pai o grande dom que Ele mesmo nos deu: Seu próprio Filho! Portanto, nossa adoração consiste em exaltar a pessoa de Jesus Cristo e recordar Seu sacrifício no altar da cruz.

Duas palavras nos mostram a maneira precisa pela qual devemos render culto: "Em espírito e em verdade". Em espírito: não somente conduzidos pelo Espírito, mas também sem nenhuma forma material, nem tradição, nem qualquer coisa que conceda valor ao homem natural. Em verdade: somente a verdade revelada nas Escrituras sobre quem Deus é, sobre quem somos, sobre a obra e a pessoa do Senhor Jesus, etc. O que ultrapassa a verdade de Deus é humano ou diabólico.

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE 2 REIS (Leia 2 Reis 9:1-15)

E ferirás a casa de Acabe, teu senhor, para que eu vingue o sangue de meus servos, os profetas, e o sangue de todos os servos do Senhor da mão de Jezabel
(2 Reis 9:7).


Muito tempo antes, no monte Horebe, Deus havia dito a Elias que Jeú seria o sucessor de Acabe (1 Reis 19:16). Mas Deus jamais se apressa quando se trata de julgamento. Somente quando todos os outros recursos de Sua graça esgotam é que Ele decide agir. Eliseu não ungirá esse novo rei como o executor da justiça porque é o profeta da graça. Um jovem dos filhos dos profetas é escolhido para essa tarefa.

Isso mostra que uma importante obra pode ser confiada pelo Senhor a um jovem. A obra em questão era apresentar-se diante dos líderes do exército de Israel, na guarnição de Ramote-Gileade, e derramar o óleo da unção sobre a cabeça de Jeú, provavelmente o comandante supremo. Isso não era algo grande demais para intimidar esse jovem profeta? Mas, quando obedecemos a Deus, podemos contar com Sua ajuda na mais difícil das situações. O versículo 7 nos mostra que Deus não esquece os sofrimentos de Seu povo. E como Ele poderia então esquecer o sangue de Seu Filho, derramado pelos culpados?

Escolhido pelo Senhor, reconhecido por seus oficiais, o novo rei entra em ação imediatamente, sem desperdiçar um só segundo.

NUVEM DE TESTEMUNHAS

Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém
(Apocalipse 1:7).


Essa é a revelação do Filho de Deus, não de Sua vinda para arrebatar a Igreja, que irá acontecer sete anos antes. A Bíblia diz que no arrebatamento encontraremos o Senhor nas nuvens (1 Tessalonicenses 4:17). É justamente naquela esfera que está sob o domínio de Satanás que O encontraremos.

E o que acontecerá quando o Senhor Jesus retornar em poder e glória? Sabemos por varias passagens bíblicas que quando o Senhor Jesus vier julgar o mundo, Ele estará acompanhado de Seus santos e de Seus poderosos anjos. E a expressão "com as nuvens" pode indicar, simbolicamente, o incontável número de santos que estarão com Ele.

Nuvens possuem certo grau de obscuridade. Por isso os ímpios não conseguirão discernir tudo o que está envolvido nesta grande manifestação. Eles serão atingidos com medo e consternação.

Aqueles que O transpassaram são mencionados de forma especial aqui. Que terrível situação! Por outro lado, as tribos da terra, a terra de Israel, se lamentarão por causa dEle. Isso nos lembra Zacarias 12:10-14, que fala da casa de Davi e os habitantes de Jerusalém olhando para Aquele que transpassaram, e movidos pelo Espírito Santo, pranteando de tal maneira que casais se separarão para chorar, pois o arrependimento será intensamente pessoal.

Há festa no céu quando um pecador se arrepende. E como será a alegria quando o céu se encher com tantas almas preciosas trazidas ao arrependimento pelo Espírito de Deus, que julgaram a si mesmas sem clemência, e receberam o Filho de Deus a quem a nação de Israel como um todo rejeitou.